Saiba tudo sobre o Tabagismo

Tabagismo é a dependência física e psicológica do consumo de nicotina, substância presente no tabaco.

Aproximadamente 6 milões de pessoas morrem por ano em todo o mundo de doenças relacionadas com o tabaco. Essas doenças são causadas principalmente pelas substâncias químicas inaladas no fumo do cigarro, cerca de 4 mil diferentes, incluindo o alcatrão, a nicotina, o monóxido de carbono, os hidrocianetos e a amônia.

A nicotina é a substância existente no fumo do cigarro que cria vício e torna difícil abandonar o hábito de fumar. É um agente estimulante que provoca bem-estar. Fica-se um pouco mais dependente e um pouco mais confiante a cada inalação. A nicotina e outras substâncias químicas do tabaco são as responsáveis pelas três doenças relacionadas com o vício de fumar que mais mortes causam: o câncer de pulmão, o enfisema pulmonar e as doenças cardiovasculares. O câncer de pulmão é quase sempre fatal e afeta muitos milhares de pessoas todos os anos, das quais 90% são fumantes. Os fumantes têm a probabilidade em cada 12 de morrer dessa doença. As substâncias químicas contidas no cigarro afetam as células do pulmão, provocando a sua multiplicação descontrolada, alterando a estrutura dos tecidos e impedindo que os pulmões absorvam oxigênio suficiente.

O tabaco tem ações mais complexas sobre o coração e os vasos sanguíneos. Os médicos calculam que anualmente o tabaco é responsável por muitos milhares de ataques de coração (enfartes do miocárdio) fatais. Acredita-se que a nicotina e o monóxido de carbono elevam a frequência cardíaca e, ao mesmo tempo, aumenta a viscosidade do sangue, aumentando as probabilidades de coagulação. A situação exige grandes esforços suplementares do coração. Juntamente com a reduçaõ do diâmetro das artérias - pelo colesterol depositado nas suas paredes - e um efeito de vasoconstrição, o fumo é responsável pelas doenças cardiovasculares que eventualmente matam dois em cada oito fumantes. Se juntarmos outros fatores de risco cardiovasculares, como a obesidade, o sedentarismo, os níveis elevados de colesterol no sangue e o uso da pílula anticoncepcional, vemos que as probabilidades de um fumante desenvolver uma doença cardiovascular aumentam dramaticamente.

Das milhares de mortes causadas por enfisema pulmonar e crises recorrentes de bronquite crônica, cerca de nove em cada dez devem-se ao tabagismo. Outros riscos do tabaco incluem câncer de boca, de garganta e da laringe, cerca de cinco vezes mais frequentes mesmo entre os que não inalam o fumo do tabaco, como é o caso dos fumantes de cachimbo e de charuto. Os fumantes também apresentam maior incidência de acidentes vasculares cerebrais, tromboses, úlceras gástricas, hipertensão arterial e câncer do útero, no caso das mulheres.

Quanto mais longo for o período em que se fumar e mais elevado o consumo de tabaco, maiores são as hipóteses de se contrair uma ou mais dessas doenças. A partir do dia em que se deixa de fumar, no entanto, os riscos começam a decrescer, e quanto mais tempo se estiver sem fumar, mais diminuem os riscos. Se você deixar de fumar antes de desenvolver uma doença pulmonar ou cardiovascular grave, as hipóteses de risco no futuro reduzem-se logo para a metade. Após cinco anos sem fumar, o risco de doença cardíaca é quase o mesmo que existiria caso você nunca tivesse fumado.

Riscos da convivência com fumantes:

As estatíticas variam quanto ao grau exato das lesões causadas pela inalação secundária de tabaco pelos não-fumantes em ambientes de fumantes - fumantes passivos - mas pensa-se que as probabilidades de câncer do pulmão aumentam cerca de um terço. Comparado com o risco dos fumantes, esse é um risco pequeno, mas, mesmo assim, ainda representa várias centenas de vidas perdidas anualmente. Estudos apontam que, mesmo quando não desenvolvem uma doença grave, os não-fumantes, como no local detrabalho, apresentam deficiência significativa da função pulmonar.

Um dos aspectos mais preocupantes relacionados com o fumante passivo são os efeitos do tabaco nos bebês e nas crianças. Fumar durante a gravidez aumenta as probabilidades de aborto, de natimortos, de nascimentos prematuros ou de morte da criança na primeira semana de vida -na porcentagem de cerca de 1/5, se a mãe funar menos de 20 cigarros por dia, e cerca de 1/3 , se ela fumar mais. Os efeitos nocivos continuam depois do nascimento, dado que os níveis de nicotina concentrados no leite materno são duas ou três vezes superiores aos níveis presentes no sangue. Os riscos das mulheres que não param de fumar no início da gravidez podem ser reduzidos se deixarem de fumar em qualquer momento, sobretudo antes da 16ª semana.

As crianças também são prejudicadas pelo fumo dos pais ou irmãos. Estudos mostraram que o fumo que elas respiram equivale a fumar uma média de 80 a 150 cigarros por ano. Como consequência dessa exposição ao tabaco, sofrem de maior incidência de asma, pneumonia e bronquite.

Os sintomas de tabagismo são relativamente subjetivos. Às vezes, pode ser percebido por terceiros antes mesmo de serem percebidos pelo próprio fumante. Os sintomas incluem:

O tratamento para o tabagismo vem se mostrando muito útil para auxiliar o fumante no processo de abandono do cigarro. Esse tratamento inclue diversas opções, que podem ser utilizadas separadamente ou combinadas:

Medicamentos específicos que atuam sobre a vontade de fumar:

Obs: Nunca se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes sonsultar um médico. Apenas o médico poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico.

Prevenção:

A melhor prevenção é não começar a fumar, daí a necessidade de conscientização das crianças e adolescentes. 

O que dizem as medicinas alternativas:

Acunputura: Através da estimulação de pontos cutâneos na cabeça, face e mãos, as mucosas respiratórias se tornam mais sensíveis, de modo que a toxidade e agressividade do fumo seja percebido como desgradável. Mas, toda a supressão súbita de uma droga à qual o organismo esteja habituado origina a chamada síndrome de abstinência, que desencadeia uma série de sintomas, variáveis de indivíduo para indivíduo. Uma dose de ansiedade está sempre presente, e a acunputura tem uma ação ansiolítica eficaz. Os pontos utilizados são o 4GI, 7P e 13B, são grandes pontos de desintoxicação;

Auriculoterapia: A auriculoterapia é muito usada e potencializa a ação da acunputura. São aplicadas agulhas especiais semipermanentes no pavilhão auricular, que as pessoas transportam algum tempo,

Hipnose: A pessoa é colocada em um estado de relaxamento. São feitas sugestões para fortalecer a decisão de deixar de fumar, para lembrar os malefícios do tabaco e ajudá-la a alterar o comportamento;

Métodos naturais: Um terapeuta organizará um programa de dieta, exercício e relaxamento adaptado para cada caso. Esse tratamento incluirá suplementos à dieta, tais como uma dose diária de 500 mg de vitamina C, que é destruída pelo tabaco.

Também pode te interessar
Saiba quais são as melhores profissões de medicina em 2018
Sobre Nós:

Medicina Virtual é um site com o objetivo de ajudar as pessoas a terem mais conhecimento da área de medicina, aqui você pode saber sobre dietas, saúde, tratamentos, doenças, bem-estar, entre muitas outras coisas!

Siga-nos em nossas redes sociais:
© 2018 Medicina Virtual - Todos os direitos reservados

Atenção: O site Medicina Virtual é apenas um site de aprendizado e educação, então nossas informações não devem ser utilizadas para outro fim, a não ser o de aprendizado, sendo assim NÃO substituimos quaisquer exames médicos