Acupuntura

Acupuntura
A acupuntura que etimologicamente designa a “punção com agulha”, é uma técnica chinesa terapêutica milenar que utiliza o método de utilização de pontos cutâneos com o uso de agulhas especiais. A técnica da picada envolve todo o conhecimento milenar em que se baseiam os princípios da acupuntura, conhecimento que tem sido gradualmente constatado pela ciência ao longo da última década.
Segundo a acupuntura, nosso organismo é percorrido por uma rede de canais nos quais circula uma determinada energia. Esses canais, os chamados meridianos, estão ligados a funções de órgãos e vísceras e têm a sua  representação na pele. É nesses meridianos que se encontram os pontos de acupuntura, definidos pela baixa resistência elétrica e também pela característica histológica que os torna diferentes da pele adjacente.
Existem 12 meridianos principais: meridiano do pulmão, do intestino grosso, do estômago, do baço-pâncreas, do coração, do intestino delgado, da bexiga, do rim, da vesícula biliar, do fígado, do mestre do coração (também designado por meridiano da circulação e da sexualidade, por representar estas funções) e do triplo foyer (este meridiano não está como o anterior, ligado diretamente ligado a um órgão ou víscera, mas represente uma tripla função – função respiratória, digestiva e endócrina. A energia circula nesses meridianos, ao longo das 24 horas, obedecendo a um ritmo circadiano e biológico preciso.
Além desses 12 meridianos principais, como são designados, existem outros meridianos secundários, que fazem a conexão entre os meridianos principais e também, estabelecem, o equilíbrio entre as energias yin e yang. Pela sua importância, destacam-se dois desses meridianos – o ren mo, que rege toda a energia yin do organismo e que circula na região anterior do corpo, na sua linha mediana, estendendo-se do púbis à região mentoniana (queixo); e o du mo, que rege a energia yang e circula na região posterior, também, na linha mediana, como que fechando o circuito.
A medicina tradicional chinesa considera o corpo o produto do equilíbrio entre duas forças – ou energias – naturais opostas, mas complementares: a força feminina, yin, e a força masculina, yang. A força yin é passiva, tranquila e representa a escuridão, o frio, a umidade e a contração. A força yang é agressiva, estimulante e representa a luz, o calor, a secura e a expansão.
O desequilíbrio entre yin e yang causará doenças e dores. Por exemplo, yang em excesso pode provocar dor súbita, inflamação, espasmos, dores de cabeça e pressão arterial elevada; o excesso de yin pode causar dores difusas, arrepios de frio, retenção de líquidos e cansaço.
Na acupuntura, o diagnóstico e a terapia têm como objetivo a identificação de qualquer desequilíbrio e a consequente correção pela inserção de agulhas em pontos apropriados. Segundo a tradição, existem 365 pontos, embora muitos mais tenham sido descobertos ao longo dos séculos. Nos mapas modernos estão assinalados até 2 mil pontos. Na sua maioria, os pontos importantes situam-se nos 14 meridianos já mencionados.
As agulhas inseridas na pele aumentam ou diminuem o fluxo de energia (chamada qi, ch´i ou shi) através dos meridianos. As perturbações físicas, emocionais e ambientais alteram o fluxo de qi, tornando-o mais rápido ou mais lento, podendo mesmo interrompê-lo ou desviá-lo para o órgão errado. O acupunturista age no sentido de equilibrar o fluxo, fazendo-o retomar a velocidade normal. 
No ocidente, a acupuntura é utilizada sobretudo para tratar situações dolorosas, como a artrite, as dores nas costas e o reumatismo, mas, também, ajuda as pessoas que sofrem de alergia, angina de peito, ansiedade, asma, bronquite, colite, distúrbios da digestão, insônia, estresse, problemas da vesícula biliar e úlceras. Têm-se registrado sucessos no alívio dos sintomas de abstinência, após o abandono do tabagismo e em outros tipos de dependência.

Consulta
Um acupunturista tradicional utiliza o diagnóstico chinês e segue um conjunto antigo de regras para selecionar os pontos. Ele examina a língua, verifica a textura e a coloração da pele, a textura dos cabelos, a postura, o movimento e considera a respiração e o tom de voz. Faz perguntas sobre o estilo de vida, o regime alimentar, a prática de exercícios físicos, a qualidade do sono, fobias e reações ao estresse. Verifica, também, as 12 pulsações da acupuntura tradicional, seis em cada pulso, cada uma delas representando a pulsação de um dos 12 principais órgãos e funções na acupuntura. Esse processo chama-se palpação e é meio utilizado pelos acupunturistas para diagnosticar perturbações no fluxo de qi e qualquer doença dos órgãos internos.
Depois disso, são inseridas finas agulhas de aço inoxidável – um procedimento, em geral, rápido, indolor e que não sangra -, que o acupunturista roda entre o indicador e o polegar para tonificar ou dispersar energia de um ponto. A pessoa sentirá uma leve dormência ou formigamento em cada ponto. A inserção das agulhas faz-se de modo a que elas penetrem na pele até atingirem o ponto de acupuntura em toda a sua grandeza, o que pode variar dos 0,5 aos 10 cm, dependendo dos pontos e da localização anatômica.
O número de agulhas utilizadas varia de uma a 15, mas, em geral, quanto mais experiente é o acupunturista, menos agulhas utiliza. As agulhas podem ser deixadas durante alguns minutos ou até mesmo cerca de meia hora (dependendo da pessoa, da reação ao tratamento anterior e da situação clínica). Durante esse tempo, pode-se ter a impressão de peso nos membros e uma agradável sensação de relaxamento.
O acupunturista utiliza agulhas de acupuntura descartáveis, retiradas de embalagens seladas e esterilizadas, ou esterilizadas, segundo as técnicas atuais. A fervura em água não é adequada, pois as agulhas de acupuntura podem transmitir doenças transportadas pelo sangue, tais como a hepatite e o vírus HIV, responsável pela AIDS.
As consultas podem durar até uma hora, particularmente se forem necessárias uma palpação e uma história clínica detalhadas. As pessoas costumam sentir melhoras entre as primeiras quatro ou seis visitas – especialmente se a doença dura já há algum tempo, com sintomas claros e persistentes. Um problema complexo como a asma, contudo, pode demandar novas sessões, até haver uma melhora nítida. Por vezes, a pessoa pode sentir-se pior logo após o tratamento inicial – mas isso, habitualmente, significa que o acupunturista estimulou demasiado as energias do corpo. Por isso, utilizará menos agulhas durante menos tempo na sessão seguinte, ou alterará o esquema de pontos. Em geral, a acupuntura funciona por fases, e as melhoras irão se manifestando com o decorrer das sessões. Mas, se não houver melhora depois de seis ou oito sessões, é pouco provável que ela apresente resultados
Muitos acupunturista tradicionais recomendam três ou quatro visitas por ano, nas mudanças de estação, para um “acerto da energia”, para manter o equilíbrio e a harmonia, conservando o bom estado de saúde.

Escolhendo um praticante
Se você estiver considerando a acupuntura, siga os mesmos passos para escolher um médico:

Diga ao seu médico que você está considerando a acupuntura. Ele ou ela pode ser capaz de informá-lo sobre a taxa de sucesso do uso de acupuntura para sua condição ou recomendar um praticante de acupuntura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Também pode te interessar
Saiba quais são as melhores profissões da área de saúde em 2018
Sobre Nós:

Medicina Virtual é um site com o objetivo de ajudar as pessoas a terem mais conhecimento da área de medicina, aqui você pode saber sobre dietas, saúde, tratamentos, doenças, bem-estar, entre muitas outras coisas!

Siga-nos em nossas redes sociais:
© 2018 Medicina Virtual - Todos os direitos reservados

Atenção: O site Medicina Virtual é apenas um site de aprendizado e educação, então nossas informações não devem ser utilizadas para outro fim, a não ser o de aprendizado, sendo assim NÃO substituimos quaisquer exames médicos

Documento sem título